música

Vamos falar sobre ETs na Terra

17:36


O post de hoje é bem especial. Primeiro por que vocês estão sempre perguntando (Beijo galera do Snapchat) sobre músicas e bandas que costumo ouvir. Segundo por que vou compartilhar com vocês um projeto que acompanho a um bom tempo e que não tenho vergonha de dizer que sou a fã numero 1. ETs na Terra é um projeto de música experimental independente criado pelo meu amigo Felipe Quinto Busanello, onde é possível encontrar uma visão artística, alienígena e um tanto quanto sarcástica a respeito do cotidiano dos humanos da Terra (nas palavras dele). Sou um pouco suspeita para falar sobre o trabalho do Felipe, pelo simples motivo de que sou extremamente tendenciosa quando o assunto envolve as pessoas que escolhi ter por perto. E quando uma dessas pessoas compõe, toca, canta, grava o vídeo, faz a foto e todo o resto sozinho, bem, me emociono e sinto orgulho mesmo.  E é por isso que preferi um post no formato de entrevista, assim não fico tietando e vocês conhecem um pouco sobre esse projeto incrível pelas próprias palavras de quem faz. 


Como e quando surgiu o projeto ETs na Terra?
Sempre gostei de música, de ouvir discos repetidamente até decorar os detalhes, cantar, analisar os encartes, as letras e as fotografias. Depois, peguei gosto pela leitura e aprendi a pensar um pouco mais sobre a nossa existência, então com o tempo comecei a escrever textos pra compartilhar meus pensamentos de escopo universal, minhas insatisfações e ideias futuristas, mas era muito texto!

Os dias começaram a ficar mais curtos e durante uma das várias trilhas sonoras dessa vida, pensei que seria legal se eu conseguisse fazer tudo ao mesmo tempo. Então em 2007 resolvi criar um projeto de música experimental independente (até então sem nome) pra que eu pudesse praticar música, pensamentos, síntese, fotografia e criatividade. Comecei a compor algumas músicas e quando percebi tinha quase 30 delas! Juntei o teclado que eu tenho desde criança, aprendi a tocar alguns outros instrumentos e comecei a gravar.

Durante os 4 anos de gravação, produção e lançamento do primeiro álbum, reparei que muitas músicas questionam certos costumes e/ou falam sobre vidas mais evoluídas em outro espaço-tempo, com ótica de turistas espaciais, ou seja, ETs na Terra (como muitos de nós em alguns momentos). Em 2011, com o projeto já batizado e o término das gravações, criei um site e disponibilizei pra download gratuito o primeiro álbum, Aliens Existem. Surgiu assim. :)

Em um dos vídeos é possível ver uma referência ao Guia do Mochileiro das Galáxias, livro de Douglas Adams. Você busca inspiração em outras mídias? Quais são suas influências?
Basicamente minhas influências são a vida, o universo e tudo mais! Hehehe, referências à parte, gosto muito de ler sobre teorias alternativas e “pensamentos espaciais intergalácticos”, então muitas músicas foram inspiradas em livros do Zecharia Sitchin, Erich von Däniken, Barbara Hand Clow, Arthur Clarke, Trigueirinho, José Argüelles, Silvia Malamud Kormes, Huberto Rohden, Hwee-Yong Jang, entre outros. Gosto de ler coisas “menos sérias” como os livros do Douglas Adams por exemplo, mas com pouca frequência.

Simpatizo muito com as ideias futuristas e perfeitamente viáveis do Jacque Fresco, e também gosto de ouvir uns caras tipo Mister Lúdico e Leandro Zayd… Alguns documentários/filmes/animações também influenciam o projeto direcionando alguns questionamentos, como é o caso de Zeitgeist e Earthlings por exemplo, mas na grande maioria dos casos a inspiração mais rica é sem dúvida o ser humano em si, seu cotidiano e algumas de suas escolhas não muito inteligentes pra época em que estamos.


Se você tivesse a chance de encontrar um ídolo e mostrar o projeto para ele, quem seria? Por que?
Ah, ninguém em especial. Sou fã de cada ser humano, pois no fundo somos todos crianças aprendendo a conviver em harmonia num planeta onde a extinção é a regra, e a sobrevivência apenas uma exceção.

O importante pra mim é compartilhar o pensamento de que devemos sempre praticar a tolerância e principalmente a empatia com todos os seres, sempre mantendo a cabeça aberta pra repensar costumes antigos sem nunca ter medo de experimentar novas possibilidades.

A História de Uma Vizinha e Seu Chá de Cogumelo é uma série de músicas que podem ser consideradas muito presentes no teu trabalho. Essa história tem um final? A vizinha realmente existiu?
Sim, essa vizinha existe e ainda deve se encontrar no planeta Terra, hehehe. Quando eu estava na graduação tive uma vizinha que morava no andar inferior e ouvia barulhos vindos do meu apartamento inclusive nos dias em que eu não estava em casa. Ela inclusive registrou um boletim de ocorrência relatando que ouvia sons de sapato (eu só uso All Star) e móveis sendo arrastados (eu só movia a cadeira de rodinhas que ficava no tapete) , bem loucona. Então canalizei minha criatividade pra procurar entender que viagem é essa que estava acontecendo, e cheguei a conclusão de que essa viagem toda estava apenas na mente dela.

Com isso, resolvi registrar a minha ótica sobre o assunto e escrevi um conto dividido em 6 partes chamado A História de Uma Vizinha e Seu Chá de Cogumelo. Esse conto relata como um cogumelo alucinógeno apareceu misteriosamente na garrafa térmica onde essa vizinha colocava seu chá, e após tomar seu sagrado chá de camomila, começou a ver e sentir o mundo de um modo um tanto quanto diferente.

Passado algum tempo, resolvi que seria um desafio interessante musicar essa história, então a partir do terceiro álbum do projeto comecei a fazer isso. São músicas onde a letra conta a história de modo sintético e o instrumental representa as sensações que ela sentiu. Trabalhei pra que as músicas tivessem momentos de euforia, partes calmas, mudanças de humor, tudo pra que a dinâmica da mesma fosse semelhante a efeitos de substâncias psicoativas.

Até agora a última parte musicada dessa história foi a parte 3, mas ainda esse ano a quarta parte será lançada, e em 2017 pretendo musicar as 2 partes restantes.
O conto original estava no meu antigo site, mas quem sabe um dia eu disponibilize ele novamente na íntegra.

Quais são os próximos passos para ETs na Terra? Teremos álbum novo?
Sigo o ritmo natural e universal das coisas, tudo acontece quando precisa acontecer. Hoje tenho esse projeto como um objetivo de vida, logo, não pretendo parar de investir tempo e dinheiro nisso.

Ainda esse ano vou lançar o sexto álbum do ETs na Terra. Em 2017, vou produzir o sétimo álbum, será o segundo trabalho conceitual do projeto e já tem um assunto definido, mas que não vou contar agora, hehe.

Então fiquem ligados no site e na fanpage do Facebook pra acompanhar o projeto de música experimental independente mais sincero da galáxia e, de quebra, mudar o conceito de imensidão podendo escolher ficar nessa outra vez até amanhã. ;)


Gentes, espero que vocês tenham gostado desse formato de post. Quem quiser saber mais sobre ETs na Terra pode acompanhar a fanpage do projeto, se inscrever no canal do YouTube para ver os clipes e ouvir os álbuns  ou acessar o site onde é possível baixar todas as músicas e saber um pouco sobre cada uma delas. Não deixem de conferir, vale muito!

Você pode gostar disso

0 comentários

Obrigada pela visita!

Sinta-se em casa e se gostar do post, não esqueça de comentar.

Beijos!

Último vídeo

Assista também: