Comportamento

Não sejamos indiferentes

09:29



Recentemente tive meu primeiro contato com a indiferença alheia. Não vou entrar em detalhes por que este post não esta sendo escrito para chorar as pitangas. Também não vou fazer a ingênua que acha que tudo é amor, mas admito que só parei para realmente refletir sobre a indiferença e suas consequências quando senti na pele.

Por mais difícil que seja acreditar, o que mais me afetou não foi ter sido desprezada, mas sim as conclusões que cheguei analisando a situação. Como bem sabem, sempre tento tirar lições e descobrir o lado bom de toda e qualquer situação, por pior que ela seja. Sou aquela que quando o mundo está acabando diz “vejamos pelo lado bom…”. Tem quem me odeie por isso. Mas o que realmente quero dizer, é que por ser assim, analítica, acabei perdendo o sono e refletindo sobre o tema por horas e horas.

Cheguei a seguinte conclusão:

Se dias atras alguém me perguntasse qual a pior coisa que uma pessoa pode propagar, responderia sem dúvidas que a pior coisa é o ódio. Hoje minha resposta é outra. Nada é pior do que a indiferença.

Para odiar precisamos nos importar o suficiente com algo/alguém a ponto de pensar nisso e demandar energia, mesmo que negativa. Quando somos indiferentes não há nada. A indiferença não gera energia. A indiferença é um vazio. E quando sentimos nada, não temos nenhuma intenção. Quando você é indiferente algo, talvez não esteja fazendo o mal, mas também não vai fazer o bem.

Em um segundo momento comecei a me preocupar se alguma vez já fiz alguém sofrer com minha indiferença. Não, eu não sou uma pessoa ruim e não acredito que todos que são indiferentes a algo o sejam. As vezes simplesmente não sabemos que estamos sendo indiferentes. As vezes simplesmente estamos com a cabeça em outro lugar. 


A questão é, e se todos tentássemos não ser indiferentes as pessoas que passam por nós? E se nos importássemos um pouco mais? E se nos importássemos o suficiente para fazer coisas boas? O ódio não é o mal da humanidade, mas sim a indiferença que não nos inspira a lutar.

Você pode gostar disso

0 comentários

Obrigada pela visita!

Sinta-se em casa e se gostar do post, não esqueça de comentar.

Beijos!

Último vídeo

Assista também: