Comportamento

Mulheres, igualdade e liberdade

16:31

Em uma dessas conversas rotineiras, ouvi a seguinte frase “ela não estuda porque o marido não deixa”. Eu não sei exatamente o que senti. Tristeza, ódio, não sei. É inacreditável que no ano de 2015, ainda há quem não estude por causa do “marido” (particularmente não gosto dessa palavra, mas tudo bem). Isso dói! 

É um machismo presente e silencioso, principalmente em cidades menores, distantes dos grandes centros. Ainda vivemos uma ditadura que obriga as mulheres a serem mães, esposas, donas de casa, comportadas, sem opinião, sem gostos próprios. Em 2015, ano em que as mulheres estão cada vez mais em busca de igualdade e manutenção dos direitos já conquistados.

 Foto:Blog Mais 20 Minutos

Essa é uma questão muito mais intensa e profunda. Penso que privar uma pessoa de estudar e trabalhar é com toda a certeza a questão mais grave. Mas não só. Frequentemente vejo mulheres casadas falarem “não vou sair, tenho marido”. “Mas como você voltou tão tarde? Isso é coisa de mulher direita?”. “Fulano não foi junto, como assim viajar sozinha”?

Fico revoltada. Não deveria estar escrevendo sobre isso. Porque simplesmente isso hoje não deveria mais existir. Mas existe, existe muito.

Para escrever essa coluna, fiz várias pesquisas ao velho Google, afinal não posso ficar na base do achismo (jornalista é jornalista sempre). O que me chamou atenção foi a seguinte:

Uma pesquisa de dezembro de 2014 mostrou que 48% dos namorados acha errado a mulher sair sozinha. O levantamento foi feito pelo Instituto Avon e Data Popular com 2.046 jovens de 16 a 24 anos de todas as regiões do país – sendo 1.029 mulheres e 1.017 homens. A pesquisa também mostra ser comum nos namoros o controle excessivo por parte dos meninos sobre a vida das garotas.

Tenho pena desse 48%. São homens que nunca serão felizes em seu relacionamento, pois não é possível viver sob tanto controle. Eles não merecem ter uma companheira para si. Esse tempo já foi e não deve voltar nunca mais.

Tem coisa melhor que um happy hour após um dia de trabalho estressante? (Beijo para minha super amiga Andrea) ou uma reunião com as amigas até altas horas com vinho? (Gabriele e Millene estou só pela próxima).  O que há de errado nisso? Nada mais saudável. Voltaremos para casa felizes, bem humoradas, satisfeitas. Eu amo essa sensação, seja após o que já falei acima, ou depois de tomar um café ou cerveja sozinha, o que é lei pelo menos uma vez na semana.



Ah, outra coisa importante. Penso que os homens também devem fazer o mesmo. Elas já fazem, claro, mas sem serem julgados pela sociedade. O futebol, o poker, o happy hour.. Direitos iguais, lembram?

Portanto, os homens devem se libertar dessa visão antiquada de que nós, mulheres, não podemos sair beber, jantar com as amigas, nos divertir e ESTUDAR, principalmente. Repito: quem pensa assim não merece ter uma companheira para si.

E a sociedade também deve parar de uma vez por todas de ver isso com maus olhos. E quando falo em sociedade, temos muitas mulheres que ainda pensam assim e concordam com esse pensamento (pasmem, conheço dezenas). Apenas parem! O mundo será melhor, mais justo, mais feliz para todos! (Estou super preparada para críticas. Você me encontra aqui). 

Foto: Blog Histórias Feministas


Você pode gostar disso

0 comentários

Obrigada pela visita!

Sinta-se em casa e se gostar do post, não esqueça de comentar.

Beijos!

Último vídeo

Assista também: