Bertrand Brasil

Livro: A vida como ela era

22:34



Sinopse: Quando Miranda começa a escrever um diário, sua vida é como a de qualquer adolescente de 16 anos: família, amigos, garotos e escola. Suas principais preocupações são os trabalhos extras que os professores passaram – tudo por causa de um meteoro que está a caminho da Lua. Ela não entende a importância do acontecimento; afinal, os cientistas afirmam que a colisão será pequena. O que Miranda não sabe é que os cientistas estão muito enganados... Para surpresa de todos, o impacto da colisão é bem maior do que o esperado, e isso altera de modo catastrófico o clima do planeta. Terremotos assolam os continentes, tsunamis arrasam os litorais e vulcões entram em erupção. Em 24 horas, milhões de pessoas estão mortas e, com a Lua fora de órbita, muitas outras mortes são previstas. Miranda e sua família precisam, então, lutar pela sobrevivência em um mundo devastado, onde até a água se torna artigo de luxo.

Acredito que esse foi um dos livros mais angustiantes que já li na vida. Com situações terríveis e personagens encantadores, “A vida como ela era” é o tipo de livro que lemos com o coração na mão e que não nos deixa dormir.

A palavra tensão pode definir esse livro. Após a colisão de um meteoro com a lua, várias catástrofes começam a acontecer e a dizimar a população da terra. Tsunamis, vulcões, falta de alimento e energia elétrica ameaçam a vida dos sobreviventes. Durante a leitura acompanhamos Miranda através de seu diário, que narra cada detalhe da tentativa de sobrevivência de sua família. 

Com uma narrativa incrível, esse foi um dos livros mais difíceis de largar. Sabe quando você para de ler e fica pensando no livro? Sem falar que após algumas páginas fica impossível querer dormir, você quer ler mais e mais. A cada capítulo ficamos ansiosos para saber qual o destino da família de Miranda, será que eles vão sobreviver? O que mais vai acontecer a seguir? 

Uma coisa que preciso confessar é que derramei 500 mil litros de lágrimas durante a leitura. O livro tem vários momentos tristes (Se você for manteiga derretida como eu), e ao mesmo tempo reflexivos. Depois dessa leitura você não pensará em comida, dietas e consumismo da mesma maneira. Ver a vida de jovens que estão estavam preocupados com bailes, baseball e universidades mudar radicalmente a ponto de suas novas preocupações serem se haverá comida ou lenha suficiente, nos faz refletir sobre quais são nossas verdadeiras necessidades.


“A vida como ela era” não é apenas um livro de ficção apocalíptica, é um livro que nos faz ver o mundo de maneira diferente, que nos diverte, emociona e inspira. Simplesmente maravilhoso!


Título: A vida como ela era - Série: Os últimos sobreviventes - Autora: Susan Beth Pfeffer - Editora: Bertrand Brasil - Páginas: 375

Você pode gostar disso

0 comentários

Obrigada pela visita!

Sinta-se em casa e se gostar do post, não esqueça de comentar.

Beijos!

Último vídeo

Assista também: