Livros

Niki leu: Príncipe da Noite

23:34

Sinopse: Toda manhã, o psicanalista Gabriel se surpreende ao acordar: sempre encontra uma mulher diferente dormindo ao seu lado. Ele nunca se lembra do seu nome, nem da maneira como a conheceu. A única coisa que resta de suas aventuras noturnas é um lapso de memória. Mas esta noite tudo se repetirá: quando cruzar com uma bela mulher, na noite seguinte, perderá o controle de quem é, porque o seu outro “eu” é capaz de tudo para satisfazer seus desejos mais primitivos.

Mantendo esse segredo somente para si, Gabriel leva uma vida aparentemente normal na grande Londres, ouvindo diariamente os problemas de seus pacientes, enquanto tenta fugir das loucuras de sua ex-namorada. Mas nada é verdadeiramente normal para um homem que pode ser controlado pelo Príncipe da Noite...



Amei a capa!

Amei a sinopse!

Detestei a história...

Esse é um daqueles livros que simplesmente não me prendem, blá blá blá demais, descrições demais, explicações demais...

Foi difícil, mas pulando algumas palavras consegui chegar até o fim.

Mas vou explicar porque isso aconteceu comigo. Para começar, eu tenho que parar de criar grandes expectativas encima de livros, nesse caso, foi isso que aconteceu. Apesar de não gostar dessas histórias de duplas personalidades que sempre tem o mesmo final. Realmente achei que esse livro seria diferente, li sinopses sobre eles e sempre foram favoráveis. Desse modo, lá fui eu me empolgando no começo da leitura.

E o primeiro obstáculo logo chegou. O mal que parece acometer 5 entre 10 livros dessa nova literatura brasileira: o diálogo roteirizado.

Tudo muito certinho, parecendo um roteiro mesmo, as falas não me soaram casuais. Ao ler, quase podia visualizar os atores ali no palco lendo um script.

Também me desagradei com a narrativa. O cara descreve o caminho dele para o banheiro! Talvez a intensão do autor tenha sido prender o leitor e fazer com que ele entrasse profundamente na mente do personagem, mas só pulei algumas páginas fiquei cansada.

Aí aparece a garota e eu penso “Yey!”, mas não, o livro se torna um pseudoterrorismopsicótico com um cara fraco e sem carisma como protagonista.

Creio que o problema tenha sido eu, que pareço gostar de histórias que tenham pelo menos algum elemento que para mim é essencial, esse elemento pode ser um romance, algo sobrenatural, uma distopia ou mesmo um protagonista carismático. Não encontrei nada ali e, para piorar, Gabriel não apenas me pareceu chatinho, como o Príncipe da noite era o ser mais previsível de qualquer suspense.

Mesmo assim pulando metade do livro consegui chegar ao final, achei que ainda poderia ser surpreendida. Como acontece com alguns livros que você não curte muito, mas, quando vai chegando no final, a história ganha um gás que compensa tudo, mas não foi assim. Me sinto frustrada quando um livro dá mil voltas e no fim ainda restam assuntos inacabados, e foi isso que aconteceu.


Título: Príncipe da Noite
Autor: Germano Pereira
Editora: Novo Conceito

Páginas: 368


Você pode gostar disso

4 comentários

  1. eu nunca quis ler esse livro e pelo visto não vou curtir!

    ResponderExcluir
  2. Van/Blog do Balaio28 de março de 2014 10:47

    Você deu nome ao que mais me aflige em alguns livros que ando lendo: Diálogo Roteirizado!!! É bem isto mesmo.

    Garanto que se os autores LESSEM MAIS LIVROS, não fariam isto nas suas próprias obras!!!!

    Beijão, Van - Blog do Balaio

    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Niki!
    Pena que o livro foi uma decepção! Pela sinopse parecia que ia ser bom mesmo.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. O livro me pareceu ser muito bom á princípio, mas agora, não tenho vontade alguma de lê-lo. Boa sorte com suas próximas leituras!

    Beijos.

    Páginas na Estante - Sorteio!

    Twitter

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!

Sinta-se em casa e se gostar do post, não esqueça de comentar.

Beijos!

Último vídeo

Assista também: