Livros

Niki leu: A Bibliotecária

13:00

Atenção: Livro inadequado para menores de 18 anos

Sinopse: A jovem Regina Finch acaba de chegar a Manhattan para trabalhar na Biblioteca Pública de Nova York. Mas o que parecia ser a promessa de uma rotina tranquila em meio a clássicos da literatura logo se revela um irresistível jogo de sedução quando ela conhece o envolvente Sebastian Barnes, investidor da instituição e um dos homens mais cobiçados da cidade, que fica obcecado pela beleza da bibliotecária. A até então ingênua Regina se entrega a um crescente e selvagem desejo que parece consumi-la mais a cada dia, uma paixão que despertará na jovem sensações jamais imaginadas.

“Esse não é um romance, é um conto erótico”, foi o que gostaria de ter ouvido antes de ter começado a leitura.

A questão é que adoro romances eróticos, de verdade, mas ainda assim eles precisam ter qualidade para me cativar. Não que a obra seja ruim ou que a autora não escreva bem, o problema desse livro foi a concepção dos personagens.

Vejamos, uma obviamente linda bibliotecária tímida e absolutamente insegura e um ricaço lindo e dominador. A fórmula costuma dar certo, como vemos em vários exemplos literários por aí, mas por que esse não foi pelo bom caminho?

Simples, falta de sentimento.

Gostei da Regina, facilmente identificável com a maioria das leitoras, gentil, calma, tímida de verdade, não aquelas mulheres com falsa modéstia. Ela consegue o emprego dos sonhos em uma biblioteca perfeita, ou pelo menos imagina isso, até que a sua detestável chefe começa a importuná-la.

Por acaso, conhece Sebastian, um beneficiador da biblioteca, e este, atraído por sua beleza, desenvolve em sentimento superficial por ela.

Independente da história, acredito que em romances héteros o protagonista tem que gostar de mulher. Gostar de verdade, esteja ela suada, ou vestindo moletom ou usando tênis, sem frescuras, sabe? Mas isso não acontece com Sebastian, para ele, Regina tem que estar sempre perfeita e impecável, coisa que não gostei. Ela tira o salto e já não é bonita o suficiente.

E de repente ele está apaixonado por ela, mas não luta muito por isso, aquele sentimento de “te amo, que sorte a sua...”.

Regina, que nunca se apaixonou, por outro lado ao perceber que o ama, começa a ser mais racional, ou melhor, não tão passiva quanto o normalmente é, a história até se torna mais interessante aí, mas não o suficiente para compensar tudo.

Enfim, com bdsm leve e cenas explicitas, “A Bibliotecária” entretém por algumas horas, mas não te marca por muito tempo.



Título: A Bibliotecária
Autora: Logan Belle
Editora: Record

Páginas: 288

Você pode gostar disso

3 comentários

  1. Oi linda!
    Eu quase comprei esse livro no natal, mas fiquei com a impressão de que seria bem morno mesmo. Sua visão da obra só me convenceu. É uma formula batida, mas que depende da forma como o escritor trabalha, acho q não vou curtir mto. vou passar
    mas ótima resenha!
    Bjus bjus!
    Pan
    Pan's Mind - Concurso Cultural I Like Movies!
    Pan's Mind - Sorteio de Ano Novo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Niki!
    Eu acho difícil gostar de eróticos porque a maioria não tem uma boa história. Concordo com você, precisa ter sentimento na história, senão não cola.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!

Sinta-se em casa e se gostar do post, não esqueça de comentar.

Beijos!

Último vídeo

Assista também: