Livros

Niki Leu: Refém da Obsessão

13:00


Sinopse:  Havia uma parte em Lanny que queria ser punida. Um pedaço de seu coração que acreditava que ela merecia o horror de ser imortal, a tristeza de ver todos aqueles que amara partirem, enquanto ela só podia conviver com as perdas e as lembranças. Terríveis e solitárias lembranças. Este “dom”, oferecido pelo mais malvado dos homens, Adair, era, para ela, a resposta a uma pena que ela deveria cumprir.
Mas, apesar das culpas e do castigo que pensava merecer, ela ainda sonhava. E esperava ser redimida por ter dado a Jonathan — seu grande amor — o esquecimento que purifica todo ser de sua dor: a morte.
No entanto, bem no fundo de sua alma, ela suspeitava que, fosse o que fosse que a atraísse para Adair (e para sua maldade), fosse qual fosse o infeliz sentimento que os aproximara, este sentimento não fora totalmente exorcizado.
Não importava que ela tivesse chegado ao cúmulo de emparedar aquele homem mau e deixá-lo para apodrecer, não importava que o tempo tivesse passado, nem que, hoje, ela pudesse contar com o apoio e os braços fortes e acolhedores de Luke... Adair estava por perto, ela podia senti-lo, e seu poder era inexorável.


Para ser bem sincera, algo me desagradou no primeiro livro dessa série (Ladrão de Almas), e foi justamente a relação entre Luke e Lanny. Adoro um romance, mas nesse caso, não me convenceu.

De alguma parecia meio desnecessário, algo como “é o que tem para hoje...”, não senti uma ligação forte entre eles nem mesmo uma química. Em compensação, com o Adair, a história era outra.

Nem com Jonathan simpatizei, desde o início, Adair se destacou. Mas o que fazer quando você gosta de um monstro? Esse foi o meu problema com o livro, por mais que tivesse gostado do Adair, creio que para os seus crimes, não há redenção.

Por isso vivi aquela situação desconfortável de saber que o Adair é errado e por isso tentar me forçar a gostar do Luke. Tenho que dizer que meu certo “desgosto” nada se deveu à escrita da autora, que é incrível e te prende a cada palavra.

Agora que já fiz um prólogo explicando meus sentimentos iniciais por essa série, deixe-me dizer o que pensei de Refém da Obsessão: Um dos melhores livros que li nesse ano!
Sério, Adair? OMG! Ele é o astro do livro! Depois de se libertar da parede em que Lanny o prendeu, ele está tomado de fúria e desejo de vingança, mas isso dura pouco, porque logo percebemos o quanto ele a ama e está disposto a mudar para conquistá-la. Passamos então a acompanhar sua frenética busca por ela.

Por outro lado, ao perceber que Adair volta, Lanny percebe que precisa fugir de um destino pior que a morte, afinal, não há nada que ela teme mais do que ser refém de um monstro pela eternidade. Nessa fuga, porém, não há lugar para se preocupar com Luke, e a única saída é se separar dele. E é aí que o livro fica bom!

Ao acompanharmos Adair e seu processo de adaptação à esse século, vamos percebendo o quando ele vai mudando, e de alguma forma, depois de tanto tempo, alguns crimes vão sendo esquecidos na cabeça do leitor (pelo menos na minha) e tudo que queremos é que ele finalmente encontre Lanny.

Refém da Obsessão conseguiu me cativar de um jeito que poucos livros conseguem, mesmo sem um grande caso de amor como foco.




Título: Refém da Obsessão
Autor: Alma Katsu
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352



Você pode gostar disso

0 comentários

Obrigada pela visita!

Sinta-se em casa e se gostar do post, não esqueça de comentar.

Beijos!

Último vídeo

Assista também: