Livros

Niki leu: Filha da Floresta

13:02

E para entrar no clima do Halloween, hoje tem resenha do livro "Filha da Floresta", que tem magia celta, maldições, datas místicas como o Samhain e muito mais macabrices em um ambiente sombrio e misterioso.


Sinopse: Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da Natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que os transformou de bravos guerreiros em belos cisnes selvagens...
 O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... Os invasores da floresta, os salteadores de além-mar, os bretões e os vikings, estão todos decididos a destruir este lindo paraíso. Porém, o mais urgente para os guardiões de Sevenwaters é destruir o mal sombrio que se introduziu em seu domínio: Lady Oonagh, uma feiticeira, bela como o dia, mas com um coração negro como a noite.
 Landy Oonagh conquista Lorde Colum, mas não consegue encantar a prudente Sorcha e seus bravos irmãos. Frustrada por não conseguir destruir a família, ela aprisiona os jovens guerreiros com um feitiço que somente a força silenciosa de Sorcha pode quebrar. Se falhar, todos continuarão encantados e morrerão!
 Mas os seres da floresta veem Sorcha como sua filha e a colocam sob a guarda de um destemido guerreiro, porém o preço dessa proteção é abandonar a segurança de tudo o que conhecia para seguir até terras estrangeiras e hostis... Em pouco tempo, a jovem se vê dividida entre o seu dever, que significa a quebra da maldição que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.



Sinceramente, o que me chamou a atenção para esse livro antes de tudo foi a capa. Em tempos de literatura tão futurista e sobrenatural (amo a ambas), um livro de aparência “tão natural”, de fato se sobressai.

Ao ler a sinopse foi tomada por curiosidade, até então livros com Magia Celta não figuravam em minha estante, conhecia um pouco superficialmente, mas nunca havia lido um romance com o tema. Tive um pouco de medo de a história ser apenas "dramalhão", mais uma daquelas histórias feitas apenas para comércio, com mocinha + vilã + mocinho, uma situação problemática e um fim óbvio baseada em contos de fadas, felizmente me enganei.

Conforme a autora esclarece no início do livro, a história é baseada no conto “Os Seis Cisnes”, dos Irmãos Grim e isso quebra um pouco o impacto que teríamos no decorrer da história, o que de modo algum a torna menos interessante. Aliás, um conto de fadas acaba se transformando em vários, de Branca de Neve à Pequena Sereia, vimos várias situações que nos remetem à essas histórias e personagens.

Devido à narrativa detalhista e emocional do ponto de vista de uma menina, somos involuntariamente transportados para uma nova época, como se já estivéssemos familiarizados com o local, as pessoas, a cultura e a magia presente.

Logo no início os irmãos de Sorcha já nos conquistam, cada um com uma personalidade diferente e sua própria áurea de mistério, com especial destaque para Finbar e Conor

Não existem águas paradas, mesmo os momentos mais calmos são carregados com tanta tensão que não conseguimos interromper a leitura. Tentei parar, em alguns momentos fiquei tão angustiada e sem ver uma possível luz no fim do túnel que tudo o que queria era fechar o livro e fazer de conta que tudo estava bem. Não foi possível, sem querer, me tornei tão envolvida com os sentimentos da Sorcha que precisava continuar e chegar logo ao fim.

Outro ponto que gostei, foi o romance do livro, aliás, não posso revelar o nome do personagem porque estragaria a surpresa, visto que foi um tanto imprevisível. O sentimento mostrado não é daquele: “Vi hoje, estou apaixonada, amanhã estou disposta a morrer por esse amor”, não, o amor é construído, não de forma planejada, mas ele cresce através da confiança, convivência e proteção, é um tanto sutil, e longe de ser o foco do livro, mas realmente envolvente.

Situações absurdas pareceram totalmente cabíveis, mesmo que no início haja certa estranheza, sem perceber, estamos tão imersos, que tudo acontece naturalmente. Esse é um daqueles livros para aqueles momentos onde queremos nos desligar da realidade e viver sentimentos intensos.


Título: Filha da floresta
Autora: Juliet Marillier
Editora: Butterfly Editora
Páginas: 616


Você pode gostar disso

3 comentários

  1. Olá eu me apaixonei pela capa e não pude comprar na bienal por que tinha acabado a grana snif snif mas pretendo ler em breve ainda mais depois dessa resenha fiquei mega curiosa com a estoria

    bjos

    ResponderExcluir
  2. A capa é linda, né? Também tive esse problema, por mais que eu tente, meu dinheirinho não aguenta nem o 1º dia de Bienal...

    bjs

    ResponderExcluir
  3. adorei a resenha
    to apaixonada pela capa *u*

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!

Sinta-se em casa e se gostar do post, não esqueça de comentar.

Beijos!

Último vídeo

Assista também: